sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Na caixa do correio #1

Olá! É certo que nem todas as semanas recebo novidades literárias na caixa do correio, mas depois existem semanas em que recebo mais do que uma, como foi o caso desta semana. Posto isto, decidi começar a vir partilhar convosco aqui no blog sempre que chegarem livrinhos novos cá a casa em vez de fazê-lo apenas no post de resumo mensal de leituras e aquisições.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Passatempo | Exemplar "72 horas" de Andrew Gross

Olá! Hoje venho anunciar um passatempo que há muito tempo que andava para fazer. Portanto, se quiserem saber como é que se podem habilitar a ganhar um exemplar do livro 72 horas de Andrew Gross leiam o post abaixo e fiquem a saber tudinho ao pormenor.
O modo de participação no passatempo já é o habitual aqui no blog, podem totalizar até 3 entradas o se seguirem todos os passos.


Novidades (Outubro) | Clube do autor

Sinopse: "Galerie Monier, Paris. Uma mulher é apanhada de surpresa por três homens armados que assaltam uma joalharia em plena galeria de lojas dos Campos Elísios. A mulher chama-se Anne Forestier. Trata-se nada mais nada menos do que a companheira do comissário Camille Verhœven, responsável pela Brigada Criminal. Fazendo tábua rasa da lei e correndo o risco de perder o posto de trabalho, o comissário esconde dos demais polícias o facto de conhecer Anne e toma a investigação a seu cargo. É o primeiro passo de uma manipulação orquestrada por um assassino vingativo. Na realidade, quem dá caça a quem? E quem é a verdadeira presa?
Gravemente ferida e coberta de cicatrizes, Anne fica internada no hospital, até que Camille a esconde na casa isolada que herdou da mãe. Perseguida por um dos atacantes, esta misteriosa mulher manterá o comissário na corda bamba, tanto a nível pessoal como profissional. Digno herdeiro de Sherlock Holmes e Hercule Poirot, com uma costela de Philip Marlowe, o comandante é um mestre na arte de bem investigar, mas este caso revela-se uma manipulação com requintes de vingança pessoal. 
Como habitualmente acontece na escrita de Lemaitre, as aparências enganam, e Camille acabará por compreender que é vítima de uma intriga que remonta ao passado, vendo-se obrigado a recorrer a todos os expedientes e mais algum para descobrir o responsável, bem como as razões que motivam o enigmático assassino."