Olá! Hoje decidi vir partilhar com vocês uma das minhas leituras do momento e a mais fofa de todos os tempos, possivelmente.
Este foi mais um daqueles livros que me fez correr para a livraria pouco tempo depois de ser lançado para poder finalmente lê-lo porque estava mortinha por pegar nele e lê-lo. Não é lindo?
"Madeline Whittier observa o mundo pela janela. Tem uma doença rara que a impede de sair de casa. Apesar disso, Maddy leva uma vida tranquila na companhia da mãe e da sua enfermeira - até ao dia em que Olly, um rapaz vestido de preto, se muda para a casa ao lado e os seus olhares se cruzam pela primeira vez. De repente, torna-se impossível para Maddy voltar à velha rotina e ignorar o fascínio do exterior - mesmo que isso ponha a sua vida em risco. Nicola Yoon escreveu um livro comovente com uma mensagem para leitores de todas as idades."
Tenho a certeza de que a maioria de vocês já teve a oportunidade de se deparar com este livro algures por aí e, que não conseguiram ficar indiferentes a esta capa lindíssima. Possivelmente é das capas mais bonitas que atualmente tenho o privilégio de ter na estante, estou mesmo in love por ela.
Este livro é tão lindo por dentro como é por fora e lê-lo tem sido uma verdadeira delícia em todos os sentidos. A premissa da história já é verdadeiramente original - pelo menos eu nunca li nada semelhante -, os personagens são bem diversificados, uma vez que Madeline é afro-americana e com descendência asiática e, depois a leitura é complementada com um conjunto de ilustrações super mimosas que a tornam mais dinâmica e divertida.
Este é aquele tipo de livros que vos faz voltar aos tempos de adolescência e creio que não consegue deixar ninguém indiferente pela mensagem que nos passa.
Ainda nem cheguei a meio e acho que dá para perceber o quanto já estou a gostar deste livro, certo?
Quem é que já leu este livro ou pretende fazê-lo futuramente?

Olá! Bem, recentemente tive a oportunidade de ler um livro que irá ser editado pela Chiado Editora muito em breve. Falo-vos do livro Promete-me que inicia uma série e é da autora C.M Cruz, a quem deixo desde já o meu enorme agradecimento por me propor fazer esta leitura em troca de uma opinião sincera sobre o livro. Posso desde já dizer-vos que estamos perante um livro muito bom e que promete de facto deixar os leitores de queixo caído.

Nome: Promete-me
Autora: C.M Cruz
Editora: Chiado Editora
Edição/reimpressão: 2016
Páginas: 320
Sinopse: "A minha vida era completa e perfeita. 
Era feliz, amada e protegida.
Até que tudo mudou, quando fui raptada.
Após quase 7 anos como escrava, encontrei a minha liberdade.
Mas até que ponto eu estava realmente livre?
Elizabeth Collins tinha tudo o que sempre sonhou. O emprego para o qual estudou, uma família que a adorava e um namorado que a amava. 
Foi com o pensamento de um futuro promissor, que o mundo da Beth desabou aos seus pés.
Ela foi raptada, torturada e violada por 7 longos anos. Levada para um mundo de terror e sofrimento, foi forçada a anos de cativo, sem esperança. 
Mesmo tendo encontrado a sua liberdade, estará ela realmente livre? Irá ela conseguir viver num mundo onde os monstros de verdade existem? Ou será que o Alec Brenner a conseguirá salvar de seus demónios?
Uma promessa foi tudo o que ela pediu. Mas não era uma promessa qualquer. Será o Alec capaz de cumprir o prometido? Mesmo que isto signifique perder a Beth para sempre?
Um romance obscuro, com elementos ásperos, tais como linguagem forte, violência e conteúdo sexual forte. “Promete-me” contém temas sensíveis para algumas pessoas.
 "

Opinião: Confesso que é sempre difícil para mim escrever uma opinião de um livro que me surpreende de forma bastante positiva. Existem casos em que eu, de certa forma, já estou à espera de ser surpreendida, mas não tanto. Creio que foi o caso deste livro, Promete-me de C.M Cruz promete mesmo arrebatar corações e surpreender muitos leitores assim como me surpreendeu a mim.
    Os livros do género erótico de autores nacionais são raríssimos e devido a isso, pensei que os poucos que existem não fossem tão bons quanto os que tinha lido de autores estrangeiros até ao momento em que devorei este livro que conseguiu proporcionar-me um momento de leitura tão bom quanto os restantes que já tinha lido do género e mostrar-me como eu estava redondamente enganada. 
    Este livro conta-nos a história de Elizabeth que é raptada e mantida em cativeiro durante 7 longos anos, sendo submetida a coisas inimagináveis durante esse período de tempo. A escritora teve a capacidade de nos descrever ao pormenor algumas dessas situações em que a nossa protagonista foi submetida e confesso que existiram momentos em que me cheguei a sentir nauseada só de pensar que aquilo pode e acontece eventualmente a algumas pessoas. Aquelas atrocidades mexeram mesmo comigo e estava sempre mortinha pelo momento em que iria ver a Elizabeth a sair dali, mas sempre com a esperança de que as restantes raparigas tivessem a mesma sorte. 
    Depois da forma quase milagrosa como a Elizabeth conseguiu sair daquele inferno, ela toma possivelmente uma das decisões mais difíceis e importantes da sua vida; decide mudar de cidade, não querendo manter contacto com as pessoas que pertenciam à sua antiga vida, inclusive com o  seu antigo namorado, que refez a sua vida depois de tantos anos à espera de um sinal que indicasse que Elizabeth ainda estivesse viva, mas como esse sinal nunca existiu, ele resolveu fazer-se à vida e seguir em frente. 
    É nesse seu grande processo de mudança que ela conhece John, Cora, Derek e Alec. Alec é o nosso protagonista masculino e do qual torna-se impossível não gostarmos. No início parece-nos alguém frio e distante, mas depressa nos mostra o seu lado mais humano, revelando-se alguém prestável e com uma dura promessa em mãos. A minha dúvida ao longo do livro foi se no caso de ser necessário, se ele seria ou não capaz de cumprir essa promessa porque, meu deus, aquilo é muito peso em cima das costas de alguém. Mas o Alec não me desiludiu, assim como eu previa que aconteceria!
    Inicialmente achei a relação entre a Elizabeth e o Alec um pouco instantânea demais, mas fiquei feliz por ver que a autora foi capaz de manter aquela química no ar sem avançar com as coisas demasiado depressa e achei isso realmente muito bom porque deixou-nos saborear a relação destes dois de forma lenta e, sinceramente é assim que eu gosto de ver os romances nos livros. Os altos e baixos, as indecisões e o pior de tudo: o confronto e a aceitação do passado de Elizabeth. Passado esse que eu pensei que acabasse por marcar mais a nossa protagonista, tornando-a talvez mais um pouco mais sensível, marcada e retraída devido a tudo o que passou, mas creio que o desejo de ela ser feliz com alguém era tão grande que superou tudo o resto e ainda bem que assim foi. Só, não sei, simplesmente contava com atitudes ligeiramente diferentes dadas as circunstâncias e creio que para mim essa foi a grande lacuna na construção desta protagonista.
    Enquanto as coisas se vão desenrolando entre os nossos protagonistas, vamos também conhecendo alguns dos personagens secundários que para mim também foram um ponto chave neste livro. Aquela Cora e o Derek prometem ainda trazer-nos muitas surpresas, disso estou mais do que certa e, confesso que também estou curiosa para saber se a relação daqueles dois tem pernas para andar para a frente porque de facto gostava mesmo de vê-los juntos.
     Um dos pontos fortes e aquilo que faz com que a leitura flua ainda melhor é o facto de a autora ter intercalado os capítulos entre o presente e o passado e desta forma o leitor sente-se sempre tentado a ler mais um capítulo de modo a saber onde é que o capítulo em questão nos vai levar. Se a conhecer mais acontecimentos sombrios do passado de Elizabeth ou se, contrariamente, a ir ao encontro da atual felicidade dela. Esta foi também uma excelente de forma de percebemos melhor a nossa protagonista e passarmos a desenvolver mais alguma simpatia e empatia por ela e por toda a força da natureza que ela inegavelmente representa.
    A escrita da autora é outra delícia, é acessível mas não de uma forma demasiado simples. Ela soube exatamente quando presentear-nos com descrições mais fortes e quando apostar nos diálogos divertidos, fazendo da sua escrita um ponto a destacar positivamente quando falamos do seu livro.
    Sabem aqueles finais que vos deixam o coração partido em mil pedaços? Este foi um deles, sem sombra de dúvida. Confesso que parte de mim já estava à espera que aquilo pudesse vir a acontecer até porque a autora foi-nos preparando para essa situação, mas a outra parte de mim tinha esperança de que as coisas pudessem efetivamente correr melhor do que aquilo. Aquilo foi tão arrebatador num bom e num mau sentido ao mesmo tempo que senti necessidade de reler aquela última parte uma segunda e terceira vez. Mesmo!
    Posto isto, dei as 4 estrelas ao livro. Não lhe dou as 5 porque existiram pequenos momentos em que não consegui compactuar assim tanto com certas atitudes e reações da nossa protagonista como já referi acima, mas com certeza que esta será uma escritora a seguir e uma excelente aposta por parte da Chiado Editora.

"Tê-lo assim tão perto de mim, transmitia uma sensação de segurança, como se nada de errado pudesse acontecer. Mas eu sabia que isso era apenas uma ilusão. Era apenas uma questão de tempo até que me encontrassem e me arrastassem de volta para o inferno.
Pág: 82/83"

Classificação: 

Playlist:

Quem é que não querer perder este livro? Garanto-vos que não se vão arrepender!

Lançamento do livro previsto para meados de Novembro.


Olá! Os eróticos continuam em voga no mundo literário, sendo que desta vez foi a editora O castor papel que decidiu apostar neste género literário, trazendo para Portugal a duologia Hearts in Darkness de Laura Kaye, sendo Corações na Escuridão o primeiro livro dessa duologia. 


Título: Corações na escuridão
Autora: Laura Kaye
Edição/reimpressão: 2016
Editora: O castor de papel
ISBN: 9789898504036
Sinopse: "Dois estranhos...
Makenna James acha que o seu dia não pode ficar pior até que no edifício do seu escritório corre para apanhar o elevador. Enquanto se distrai para atender uma chamada o elevador pára e fica às escuras. Makenna encontra-se assim na companhia de um estranho do qual apenas vislumbrou a tatuagem de um dragão numa das suas mãos antes das luzes se apagarem.
Quatro horas...
Caden Grayson diverte-se com esta linda ruiva tão atrapalhada com a sua mala e o telemóvel. Mas logo a diversão acaba quando o elevador se imobiliza e ele, apesar dos seus piercings, tatuagens e cicatrizes, entra em pânico. Agora está preso dentro do seu pior pesadelo… durante quatro horas. Somente abrindo-se com Makenna é que Caden poderá vencer os seus demónios, da mesma foram que Makenna consegue ultrapassar o seu terror do desconhecido. Aos poucos e apesar da escuridão, ambos acabam por descobrir o muito que têm em comum. Na escuridão a atração e o desejo crescem e os dois não resistem a envolver-se com paixão. Mas, perguntam-se, irão sentir o mesmo quando as luzes voltarem? E quando forem salvos do elevador que os aprisiona o que farão?"



Lançamento: 21 de Setembro.