Opinião | Cavalheiro Pecador - Jodi Ellen Malpas



Título: Cavalheiro Pecador
Autora: Jodi Ellen Malpas
Editora: Planeta
Edição/reimpressão: 2019
ISBN:  
Páginas: 448
Sinopse: "Uma história de amor e luxúria. Um livro sobre relações, confiança e questões profundas de sofrimento.
Izzy White sabe da maldade que existe no mundo. Afinal, fugiu dela há muito tempo. Construiu uma vida estável, cuidando dos outros como enfermeira. mas um ato de bondade deita tudo por terra quando o atraente Theo Kane entra no seu mundo.
A reputação dele é terrível, mas com ela Theo é gentil - um perfeito cavalheiro - e ela apaixona-se. Mas quando os demónios de Theo vêm ao de cima, Izzy sabe que deve acabar a relação, mas não consegue. No entanto ficarem juntos, pode condenar os dois...
Um novo romance na linha da Jodi Ellen Malpas: heróis intensos e dominadores e heroínas decididas que os levam aos limites"

Opinião: Foi com imensa curiosidade que recebi a notícia do lançamento desta novidade por parte desta autora que me tem vindo a conquistar aos poucos, mesmo não sendo um livro que tencionasse ler para já, acabei por fazê-lo e assim terminei o mês de Outubro em grande e de coração cheio com esta história que me deixou completamente agarrada!
    Este livro conta-nos a história de Izzy White, uma jovem enfermeira atormentada, que conhece Theo Kane em condições pouco convencionais. Ele acaba por salvar-lhe a pele num momento complicado e desde então que mostra algum - grande - interesse nela.
    Desde o início que Theo mostra bem a sua posição e revela bem as suas intenções: levar Izzy a jantar fora com o intuito de a conhecer melhor e de ambos perceberem quais são as probabilidades de existir ali algo, além da química que desde cedo é óbvia.
    Theo não é o tipo de homem que aceite um não como resposta, por isso está a disposto a ir até onde for preciso para arrancar um sim da Izzy, inclusive persegui-la até ao outro lado do país enquanto ela está de férias. Achei isso um pouco excessivo e os primeiros contornos de uma relação abusiva apareceram bem cedo o que me deixou com alguns pontos de interrogação na cabeça.
    Izzy, por sua vez, acaba por ceder e perceber que com Theo consegue ter exatamente aquilo porque tanto desejava: alguém que a protegesse de tudo e de todos e alguém que gostasse dela apesar de todos os seus receios, contudo ela também terá que lidar com alguém cheio de traumas e com demónios bem piores que os seus.
   Gostei particularmente desta personagem feminina que se revelou bem mais forte do que eu esperava, o seu ponto fraco está ligado aos seu passado e à forma como este ainda a molda no presente, contudo ela revelou-se verdadeiramente altruísta e uma mulher com cabeça, tronco e membros, mesmo quando se tratava de Theo, ela revelou-se sempre racional, expondo bem os seus receios, mas também aquilo que a fazia ir em frente com ele. Theo, por sua vez, é um homem bem peculiar como já tem vindo a ser hábito vindo desta escritora, é um homem que leva um estilo de vida bem duvidoso, mas que tem um passado tão triste que é impossível não nos sentirmos solidários para com ele e talvez até se torne fácil por isso perceber a pessoa que ele é no presente. 
    Este romance convenceu-me e deixou-me completamente agarrada ao livro, fiz mais que bem quando, muito por instinto, decidi comprar este livro para lê-lo no imediato, sendo que era um livro não fazia intenção de comprar, nem tão pouco ler tão cedo. A minha história com esta escritora é bem peculiar, comecei por odiar quando li o primeiro livro da série Este Homem, mas os seus livros únicos têm-me deixado completamente fã e ainda sinto alguma curiosidade em ler a sua segunda série editada em Portugal, mas não para já. Apesar de tudo, os contornos de romance abusivo e a forma como ele fez com que ela cedesse a algo tão simples quanto jantar com ele foi algo que ainda não consegui digerir muito bem, por isso vou ficar-me pela 4,5*, até porque aquelas últimas 100 páginas foram uma verdadeira lufada de ar fresco nesta leitura e foram exatamente o drama e abrir de olhos que estes dois precisavam para seguir em frente.
     O que eu gostava mesmo era que existisse outro livro, desta vez dedicado à amiga de Izzy, a Jess e o Callum, amigo e empregado do Theo, aqueles dois também tiveram faísca suficientemente para terem uma boa história.

Classificação: 4,5*

Playlist:

Outras obras da autora com opinião no blog:


1 comentário:

Instagram