segunda-feira, 14 de março de 2016

Opinião | A 5ª vaga - Rick Yancey

Olá! Hoje é dia de opinião de um livro que inicia uma trilogia com o mesmo nome, a 5ª vaga. Li este livro em Fevereiro já com a expectativa de ver o filme, contudo ainda não foi em Fevereiro que consegui fazê-lo, mas espero que não passe de Março.
Nome: A 5ª vaga
Autora: Rick Yancey
Editora: Editorial Presença
Edição/reimpressão: 2014
ISBN: 9789722352529
Páginas: 400
Sinopse: "A 5ª Vaga, o volume que dá início à trilogia com o mesmo nome, é uma obra-prima da ficção científica moderna. É um épico extremamente original, que nos apresenta um cenário de invasão extraterrestre do planeta Terra como nunca antes foi escrito ou sequer imaginado. Nesta narrativa assombrosa, uma nave extraterrestre fixa-se na órbita da terra, à vista de todos mas sem estabelecer qualquer interação. Até que, subitamente, uma gigantesca onda eletromagnética desativa todos os sistemas da Terra, e todas as luzes, comunicações e máquinas deixam de funcionar. A esta primeira vaga seguem-se outras, num crescendo de violência que devasta grande parte da humanidade. Será este o fim da existência humana sobre a Terra? Haverá ainda alguma salvação possível? Um thriller de alta voltagem, com todos os ingredientes para se tornar um grande clássico da literatura fantástica universal."

Opinião: Este livro conta-nos a história de Cassie, uma miúda de 16 anos, que de um dia para o outro vê a sua vida mudar drasticamente à semelhança do que acontece com o resto da humanidade. Isto acontece quando o planeta Terra é invadido por extraterrestres ou “Os outros”, como Cassie lhes chama ao longo do livro, uma vez que eles nunca se revelam a ninguém, sendo deste modo a sua fisionomia desconhecida. Eles limitaram-se a manter a nave mãe no céu de forma a que todos os humanos a vejam e saibam que estão a ser vistos permanentemente.
    Entretanto vão surgindo várias vagas que têm sempre como objetivo dizimar e diminuir o número de habitantes na Terra. A 1ª vaga é quando uma enorme onda electromagnética desativa todos os aparelhos e sistemas da terra, a 2ª vaga surge quando existem ondas mais altas, a 3ª vaga que é muita vezes referida como pestilência, consiste numa doença que é transmitida pelos pássaros e atinge grande parte da população e, por fim dá-se a 4ª vaga que é os silenciadores. Depois destas quatro vagas a humanidade fica dizimada em 97%, ou seja, os sobreviventes são realmente poucos. A 5ª vaga fica à descoberta do leitor à medida que a leitura se vai desenrolando.
    Cassie levava uma vida normal, mas depois deste sucedido acaba por ver ambos os progenitores morrer debaixo do seu nariz e assiste a partida do irmão que afirmam que vai partir para um local melhor e mais seguro. Para trás fica uma promessa feita por Cassie que vai ser aquilo que vai movê-la voltar a reencontrar-se com o irmão. Pelo caminho Cassie cruza-se com Evan Walker, uma personagem altamente misteriosa e que depressa ensina a Cassie tudo o que ela precisa de saber para sobreviver. 
   O grande fator desta história, além da identidade desconhecida dos extraterrestres, é definitivamente os nossos personagens que têm os seus caminhos constantemente cruzados uns com os outros de uma forma credível e soberba. São eles quem contribui e muito para o facto desta obra ser tão boa e são surpreendente para o leitor. E é a partir daqui que o auge da história surge e se desenrola. 
    De todas as personagens gostei particularmente do irmão de Cassie, o pequeno Sam que é obrigado a crescer mais depressa do que aquilo que é expectável, mas também gostei de Cassie que é aquela personagem que está mais presente em toda a história porque partilha constantemente connosco o que está a acontecer e como é que ela se sente perante isso.
    Apesar de tudo devo confessar que aquele final deixou-me com um gosto agridoce na boca porque depois de tudo aquilo que o Evan passou acabamos por não saber se ele se encontra vivo ou não (tenho as minhas desconfianças, mas o facto de o final deixar essa pergunta no ar já me deixa triste).      E depois aquele triângulo amoroso no final, por favor é de deitar as mãos à cabeça, contudo achei engraçada a forma como ela reencontrou a sua crush do liceu depois de todas as variáveis improváveis.
    O que mais me surpreendeu foi o facto de o livro não ter só um ponto de vista, mas sim três. A primeira vez que o livro muda para um narrador diferente este não nos é identificado, desde o princípio percebemos que não se trata de Cassie, mas não é logo de imediato que percebemos de quem se trata realmente e isso para mim é fenomenal. Manter aquele factor surpresa que nos deixa agarrados aos livros e neste caso, nos permite conhecer de forma mais aprofundada os vários personagens.
    Pessoalmente gostei muito deste livro, se inicialmente achei a narrativa um tanto lenta demais, a partir da página cento e pouco as coisas melhoraram e começaram a tomar um rumo que nos deixa sempre com aquele desejo de saber mais e mais. A escrita de Rick Yancey é muito cativante porque consegue descrever-nos na perfeição o que está a acontecer sem se tornar em momento algum maçador.
"Costuma dizer-se que a verdade nos liberta. Não acreditem nisso. Às vezes a liberdade põe-nos numa cela e tranca-nos a mil chaves."
Pág: 274
Classificação: 
E vocês já leram ou querem ler esta trilogia?

1 comentário:

  1. Olá
    Ainda bem que gostaste :)
    Aquele triângulo amoroso chateou-me bastante!
    Agora realmente quero saber o que aconteceu ao Evan.
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar