terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Opinião | Faz-me sentir - Beth Kery

Olá! Já faz um tempo que li este livro e ainda sinto que estou a organizar as ideias e a concluir aquilo que mais gostei neste livro que de facto me surpreendeu bastante. Já tinha tido oportunidade de ler obras da autora, mas não tendo achado nada de especial na altura nem sequer ponderei muito na ideia de voltar a ler alguma coisa da autora. Normalmente isso diz muito sobre o quanto gostámos ou não de um livro, mas decidi que tinha que dar uma segunda oportunidade à escritora assim que vi esta novidade da Saída de Emergência e ainda bem que o fiz!


Título: Faz-me sentir
Autora: Beth Kery
Editora: Saída de Emergência/Edições Chá das Cinco
Edição/reimpressão: 2017
ISBN:  9789897102998
Páginas: 448
Sinopse: "Harper McFadden construiu a sua reputação como jornalista de investigação ao ser compassiva mas destemida. Depois de a tragédia atingir a sua família, muda-se para as margens do lago Tahoe em busca de paz. Mas quando o misterioso magnata de software Jacob Latimer entra na sua vida, os seus pensamentos deixam de se focar na sua recuperação para se centrarem num desejo insaciável de estar com ele.
Jacob é um homem que construiu o seu império do nada. Os rumores que envolvem a sua ascensão ao poder são abundantes e ninguém sabe os segredos que esconde no seu passado. Harper seria a última pessoa que ele deixaria entrar na sua vida: ela é a única que pode expor as suas origens ocultas. Mas Jacob conhece aspetos do passado de Harper que o atraem irresistivelmente. A única coisa que ele quer é torná-la sua - e Jacob é um homem que consegue sempre o que quer…"

Opinião: Este livro conta-nos a história de Harper que decide “fugir” do frenesim que é a sua vida em São Francisco para as margens do lago Tahoe optando antes por levar uma vida pacata e mais recatada do que tinha antes, mesmo que isso implique deixar o seu trabalho como repórter reconhecida no San Francisco Chronicle para ser editora da seção de notícias do Gazette, jornal da zona para a qual se mudou. Como cidade pequena que é, Tahoe, Harper acaba por cruzar-se por acaso com um dos maiores magnatas da zona, Jacob Latimer que promete aparecer na sua vida para ficar. Se num primeiro contacto em que os dois trocam apenas dois dedos de conversa e ele a reconhece como jornalista que é, posteriormente é ela que devido a questões de trabalho acaba por reencontrar-se com ele e só aí percebe quem é que ele é de facto e apesar de ambos se quererem conhecer um pouco melhor, os empregos de ambos parecerem não ligar muito bem um com o outro a menos que eles se disponham a deixar os empregos de lado o que acaba por revelar-se algo fácil de se fazer, pelo menos inicialmente. 
    Jacob acaba por arriscar mesmo sabendo que tem os holofotes todos sobre si e muitos são os boatos que correm, principalmente aqueles que metem em questão se ele ganha ou não dinheiro de forma legítima, contudo ele acaba por deixar-se envolver com Harper sem pensar muito nas consequências, mas sempre com as suas reversas e a querer revelar sempre o mínimo dos mínimos sobre a sua vida e o seu trabalho.
   O que acaba por ser uma relação casual e meramente física, acaba por ir ganhando outros contornos. Inicialmente Harper tem que habituar-se e ambientar-se aos gostos um pouco peculiares de Jacob (nada de 50 sombras de grey, relaxem!), mas depressa ela dá por isso a querer mais dele. Talvez um pouco do seu coração tão bem escondidinho e arrecadado?
     E é assim que se vai desenrolando a história de Jacob e Harper, o que nós não contamos é que os dois tinham um passado juntos. E que passado! Jacob é o primeiro a perceber que Harper é alguém muito importante do seu passado, já Harper mais dificilmente se apercebe de tal pormenor uma vez que Jacob está muito diferente em todos os aspectos, inclusive tem um nome diferente o que torna ainda mais difícil de saber quem é que ele foi em criança e adolescente. 
    Uma das coisas que mais gostei neste livro foi este passado que unia os dois, mas principalmente toda a carga que o Jacob tem; o seu passado nada simpático e sorridente, mas que isso só acabou por fazer com que ele fosse alguém melhor no futuro e a prova disso mesmo é o seu presente. Jacob tem um lado bem mais humanitário do quer admitir e mostrar à maioria das pessoas à sua volta o que para mim foi só pontos a somar para ele. E quem leu ou ler o livro já sabe bem do que é que estou a fazer, ele não se limitou a dar o mal que recebeu, ele quis sim dar o bem que não recebeu enquanto criança o que é de louvar e uma lição boa a tirar, nem sempre deves dar o que recebemos, às vezes é bom dar o inverso da moeda se isso fizer de nós pessoas melhores. 
    Portanto, a escritora surpreendeu-me bastante ao conseguir criar uma história com pés e cabeça, inicialmente foi-nos descrevendo as cenas mais íntimas das personagens, mas depois decidiu introduzir corpo e alma nas nossas personagens a fim de lhes dar de facto forma, o que gostei bastante porque normalmente é aqui que mais falham os livros de romance erótico, as(os) escritores(as) focam-se muito nas cenas mais sexuais que se esquecem que é preciso também trabalhar a questão mais psicológica das personagens e que é também fundamental que exista história e conteúdo exterior ao casal.
     Resta-me apenas salientar que este livro engana um pouco se o formos a avaliar pela sua capa, dá a ideia de ser um mero erótico, mas mais uma vez reforço a ideia de que é muito mais do que isso e que no fim, acabamos surpreendidos com a história bonita que lemos, principalmente com aquela paixoneta de adolescentes que acabou por se rever e estender na idade adulta. 

Classificação: 

Playlist:

Esta leitura teve o apoio da editora Saída de Emergência que me enviou um exemplar em troca de uma opinião sincera.


1 comentário:

  1. Olá!
    Como sabes este não é um tipo de leitura que leia. Mas adoro ver as bandas sonoras que escolhes para os livros :)
    Beijinho e boas leituras

    ResponderEliminar