sábado, 22 de julho de 2017

Opinião | Se eu fosse tua - Meredith Russo

Olá! Hoje venho partilhar a opinião de um livro do qual eu esperava muito mais e ao qual eu queria muito dar as 5 estrelas, só que não. Foi bom, foi uma leitura inspiradora, mas achei que o tom muito juvenil e no final, senti que lhe faltou algo. Mas é um livro que recomendo, recomendo muito, devido às várias temáticas pertinentes que aborda!

Título: Se eu fosse tua
Autora: Meredith Russo
Editora: Nuvem de tinta
Edição/reimpressão: 2017
ISBN: 9789896652197
Páginas: 264
Sinopse: "Só porque tens um passado, não quer dizer que não possas ter um futuro.
Mudar de escola no último ano e ser a miúda nova do liceu nunca é fácil para ninguém. 
Amanda Hardy não é excepção: se quiser fazer amigos e sentir-se aceite, terá de baixar as defesas e deixar que os outros se aproximem. 
Mas como, quando guarda um segredo tão grande?
Uma história inspiradora e comovente que nos enche o coração e nos ensina que o amor mais verdadeiro e profundo nasce da coragem de sermos nós mesmos.

Opinião: Esta leitura foi aquilo a que chamo uma surpresa. Tinha lido tanta opinião tão positiva sobre este livro que esperei mesmo estar perante um livro brilhante, dado o tema abordado no mesmo, mas acho que as coisas foram abordadas de forma muito juvenil, embora eu até consiga perceber o porquê não me conformo com esse facto.
    Este livro conta-nos a história de Andrew que é um jovem que desde cedo percebe que não se sente feliz no seu corpo e tem a perfeita noção que quer vir a ser uma rapariga porque identifica-se muito mais com o sexo feminino do que com o masculino. Como é de esperar, Andrew descobre isto um pouco precocemente e acaba por sofrer bastante bullying na escola porque torna-se difícil explicar a adolescentes uma coisa desta natureza quando eles estão tão formatos para aquilo que a sociedade considera ou não normal. Não concordo com isto, aliás acho que os pais deveriam ser os primeiros a tratar destes padrões em casa, mas isso é tema para outra discussão. 
    Claramente que esta é uma coisa difícil de digerir para os pais de Andrew, uma vez que para todos os efeitos tiveram um menino e não é fácil conformarem-se que esse menino tão desejado quer vir a ser uma rapariga. Posto isto, surge uma tentativa de suicídio por parte de Andrew que felizmente foi mal sucedida e os pais começam a tentar respeitar a sua ideia e é então que Andrew começa a passar pela mudança de sexo. 
    O livro tem uma coisa muito boa que joga a seu favor e na qual a autora soube trabalhar: nós vamos seguindo parte do processo de mudança de sexo do Andrew para a Amanda, mas em contrapartida senti que ela o fez de forma muito superficial. Uma vez que ela decidiu enveredar pelo caminho de nos remeter um pouco para o passado, podia ter revelado vários pormenores que isso teria sido extremamente válido, mas apenas ficamos com umas luzes daquilo que ele teve que tomar.
     Achei que a personagem aceitou e passou por esta mudança de forma muito fácil, sabem? Acredito que sendo uma coisa que ele tanto desejava fosse fácil para si, mas é uma mudança que certamente mexe muito com o psicológico de alguém e essa abordagem ficou muito aquém do que eu esperava. 
    Amanda a certa altura decide mudar-se para ir viver para outra cidade com o pai e começar do zero depois de toda a mudança pela qual passou. Uma nova escola implica novas amizades, novas descobertas e novos amores e é isso mesmo que acontece com a nossa protagonista que depressa descobre um grupo no qual se integra perfeitamente e se sente aceite e acarinhada e posteriormente conhece também Grant, um rapaz que promete vir a abalar e muito o coração da jovem. 
    Confesso que ansiei bastante pelo momento em que todos descobririam a verdade porque queria ver a reação das pessoas e esta correspondeu tal e qual aquilo que eu esperava, contudo não podia ter sido revelado em momento mais inoportuno, mas creio que isso já era de esperar. 
    Os capítulos são relativamente curtos e vão intercalando entre o presente e alguns momentos do passado de Amanda o que torna a leitura muito mais fluída e interessante. A escrita da autora é deveras simples, sem grandes floreados, pelo que senti que este livro é um pouco dirigido ao público mais jovem. Confesso que também teria gostado de ter encontrado mais livros deste género quando era adolescente, livros que nos mostram a diversidade existente e nos incentivam a aceitá-la.
    O facto da própria autora ser transexual fez deste livro algo bem mais pessoal, é como que um relato pessoal e sem dúvida que uma vez posto isto, não haveria pessoa melhor para falar sobre o assunto ou para escrever esta história. 
   Concluindo, é um livro bem interessante porque aborda a questão da transexualidade que raramente é abordada em livros – pelo menos eu nunca tinha tido oportunidade de ler nada que falasse sobre a mesma – e é um excelente ensinamento para todos. Devemos sempre lutar pelas nossas crenças indendendpente do que isso signifique ou não para os outros, se para nós é o certo, então há que seguir em frente!
"Talvez os segredps e as mentiras fizessem parte da vida; talvez todas as pessoas mentissem a si mesmas sobre alguma coisa ou tivessem algo a esconder"
Pág: 91
Playlist:

Classificação: 

Sem comentários:

Enviar um comentário