sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Opinião | O escultor - Carina Rosa

Olá! Hoje trago a opinião de um livro de uma autora portuguesa que já não é novidade aqui no blogue: a Carina Rosa. O escultor é o seu novo livro e é bem diferente daquilo a que ela nos tem habituado, mas a qualidade do seu trabalho mantêm-se, ou melhor dizendo, está ligeiramente melhor como tem acontecido de trabalho para trabalho.

Título: O escultor
Autora: Carina Rosa
Editora: Coolbooks
Edição/reimpressão: 2016
ISBN: 978-989-766-085-6
Páginas: 460
Sinopse: "Mariana Esteves é uma galerista de sucesso, cuja vida muda após uma exposição. Um bilhete anónimo cai-lhe nas mãos, assinado «O Escultor». No papel, ameaças a si e à sua companheira de casa, Alice. Mariana ignora as mensagens do Escultor, mas há um dia em que percebe que não o pode evitar mais: Alice foi levada.
André, um jovem agente da Polícia Judiciária, é o homem que investiga os casos do artista anónimo e não consegue esquecer os rostos das mulheres desaparecidas ao longo dos anos. Para Mariana, ele é apenas um agente a quem deve dar o mínimo de informação para encontrar Alice. Para André, ela é uma mulher fria, a quem jura arrancar toda a verdade para fechar este caso de uma vez por todas. "


Opinião: Depois de já ter tido a oportunidade de ler vários trabalhos da autora, foi bom pegar em algo dela mas num registo algo diferente daquilo a que ela nos foi habituando ao longo dos tempos. Desta vez, a escritora decidiu apostar num livro que junta vários géneros literários num único trabalho: romance erótico, policial/thriller e algum mistério, contudo gostei bastante do resultado final.
   Este livro conta-nos a história da Mariana, uma galerista de sucesso, que tem uma vida demasiado monótona, não fosse por vezes a sua amiga e companheira de casa a fazê-la fugir um pouco à rotina e os seus dias seriam sempre iguais. As duas não podiam ser mais distintas uma da outra, mas creio que é isso que dá beleza a amizade delas, é como ter dois pólos diferentes juntos num só lado. Enquanto Mariana é perfecionista, trabalhadora e reservada, a Alice é completamente o oposto sendo mais descontraída, mais extrovertida e mais animada, tentando sempre trazer esses lados de Mariana ao cimo, embora nem sempre essa tarefa se revele fácil. A parte em que me apercebi do quão diferentes estas duas são uma da outra além da questão óbvia, é quando a autora nos faz uma breve descrição do quarto de cada uma, a diferença é abismal.
    O início da história é um pouco a contextualização de todo o ambiente da vida da protagonista, a Mariana. A forma como gere a sua vida, as pessoas que a rodeiam e um pouco sobre as suas formas de pensar e agir. Mas a verdadeira ação da história tem inicio quando Mariana começa a receber bilhetes bem estranhos de alguém que se intitula “O escultor”, mas ela vai desvalorizando o aparecimento destes bilhetes na sua galeria, mas tudo muda quando Alice desaparece sem deixar rasto e o desaparecimento parece ter dedo do dito escultor.
   Mariana vê-se obrigada a pedir ajuda a alguém e recorre ao posto da polícia, sendo que é de imediato encaminhada para o inspetor André, caindo-lhe desde logo nos braços. De verdade! Por sorte ou por coincidência do destino André está encarregue de investigar o desaparecimento de várias jovens na zona e depressa se apercebe que a historia de Alice está interligada com tudo o resto.
    O escultor foi uma personagem que apesar de arrepiante e muito macabra, gostei bastante da sua caracterização e dos capítulos que lhe eram dedicados de modo a mostrar-nos um pouco mais sobre a sua vida e mente doentia. Tudo tem um porquê e a história deste homem não é exceção. O único senão é que desconfiei desde o início da verdadeira identidade do escultor, inicialmente até pensei que era óbvio demais para ser verdade mas de facto não fazia sentido que fosse outra pessoa e esse foi para mim um dos poucos pontos negativos deste livro, mas em contrapartida esta foi das minhas personagens favoritas ao longo da história devido a toda a complexidade inerente à construção do mesma.
    Ao início custou-me um pouco a entrar na história porque não estava a conseguir gostar muito das personagens, mas depois surgiu o mistério e depois o romance que me deixou em pulgas para o andamento da coisa. O meu lado romântico fala sempre mais alto quando existem casais à mistura e no caso de Mariana e André não foi exceção, principalmente porque esta foi uma aproximação que levou o seu tempo, mas foi tão bom ver duas pessoas tão frias a derreterem quando estavam juntas. E aquele momento perto do final cliché foi tão bom. A sério!
     Os capítulos vão alterando entre os vários personagens o que abona a favor da história porque nos dá a perspetiva de todos eles sobre tudo aquilo que está a acontecer no presente e aborda também um pouco do passado de cada um dos personagens o que, muitas vezes, explica o porquê deles terem determinadas atitudes no presente.
   (In)felizmente existe uma imensidão de pormenores sobre este livro que eu gostava muito de abordar, mas não o vou fazer porque vai certamente estragar a experiência de leitura de quem vier a ler este livro, mas acreditem se há livro que tem muitas surpresas para dar ao leitor é este!
Só um pormenor que não posso deixar passar em branco porque foi das primeiras coisas que reparei quando me deparei com este livro: a capa. Na minha opinião esta muito bem conseguida e expressa de forma muito boa história. Arrisco-me ate a dizer que é das capas mais bem conseguidas a nível de livros nacionais, mesmo.
"Pela primeira vez em muitos anos, Mariana sentiu que andara à deriva toda a via, tentando encontrar um amor que pensava ter descoberto na arte. Mas amor era isto: uma pessoa e um lar. Esse lar era na casa de André, por entre paredes e cortinados escuros, simples, práticos e frios, como, na verdade, eram amos. Eram iguais e amavam-se."
Pág: 460
Classificação: 

Playlist:

Esta leitura teve o apoio da editora CoolBooks (Chancela da Porto Editora) que me enviou um exemplar em troca de uma opinião sincera.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Resumo mensal (Filmes e Séries) | Janeiro

Olá! Janeiro foi um bom mês a nível de leituras, mas penso que a nível de filmes e séries também o foi. Gostaria de dizer que os meses que se seguem vão ser parecidos, mas acho difícil, uma vez que Fevereiro já vai a chegar ao fim e o balanço final não é nem metade daquilo que foi Janeiro, mas nem todos os meses podem ser iguais, não é verdade?

Filmes

  
Comecei logo no início do ano e do mês de Janeiro por ver o Taken 3 que estreou na televisão. Ainda só tinha visto o Taken 1 e talvez tenha perdido alguns detalhes por não ter visto o segundo antes deste terceiro, mas na generalidade gostei muito do filme. Depois também apanhei a dar num Sábado à tarde o filme Star Trek que não conhecia, mas por norma gosto sempre de ver estes filmes assim mais futurísticos que envolvem espaço e tudo mais. Por fim e numa onda de filmes mais recentes, fui ao cinema ver Passageiros que me andava a deixar curiosa há muito com aquele trailer e, bem, é um filme com um ritmo de ação um pouco lento e que precisou de muitos poucos atores para ter pernas para andar o que para mim é muito bom, porque poderia causar algum aborrecimento, mas não. É um filme que vale muito a pena ver.

Séries

 
No âmbito de séries tenho muitas debaixo de olho que gostaria de ver, mas para já tenho-me limitado apenas a seguir aquelas que já vejo há algum tempo e quando surgir mais tempo para dedicar a séries logo se vê. Continuei a seguir a 2º temporada da série 12 Monkeys que levou uma reviravolta enorme nesta segunda temporada e que estou mortinha para ver como vai terminar e o que nos vai trazer a próxima temporada. Depois comecei a ver 2º temporada de Shadowhunters que tem deixado muito a desejar em alguns campos, mas que tenho seguido na mesma por gostar muito da história e por não ter perdido a esperança de vir a ler esta saga.
E vocês, o que andaram a ver no mês de Janeiro?

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Resumo mensal (Leituras e Aquisições) | Janeiro

Olá! Decidi que este ano o mais sensato a fazer é dividir o post do resumo mensal dos meses em dois, isto é, um só dedicado aos livros lidos e às aquisições dos mesmos e outro somente dedicado aos filmes e séries vistos. Isto é uma forma de tornar o post mais objetivo no conteúdo e de não fazer posts tão compridos. Assim dá para aprofundar mais algumas questões se possível e cada um dirige-se aos resumos mensais que mais gostar de ver: literários ou cinematográficos.

Leituras

    
Não podia ter iniciado o ano de 2017 com melhor leitura, tendo sido Volta para mim (5 ) o primeiro livro lido do ano e o qual gostei imenso, a história, os personagens e o romance que me deixou a suspirar, literalmente! Depois apeteceu-me ler algo masi curtinho e peguei num conto que tinha no e-reader O beijo (2 ) que embora tivesse potencial para ser uma boa história, deixou muito a desejar por ser demasiado confuso talvez por ser tão curtinho, não sei. Num registo mais leve, iniciei uma série que encontrei ao acaso no goodreads que se chama "Marked Men" tendo lido os primeiros três volumes Rule (4 ), Jet (4 ) e Rome (4) e tenho a dizer que para já gostei bastante das história que a autora cria, conseguiu intrudizr em casa um dos livros a dose certa de drama, romance e tem sempre truques na manga. Senão tivesse gostado tanto não teria lido os três volumes seguidos, mas para já dei uma pausa. Por fim, li O escultor (4 ) que me tinha deixado com a pulga atrás da orelha assim que foi lançado e não me desiludiu nadinha, gostei muito de ver o trabalho da Carina num registo diferente daquilo a que nos habituou.

Leituras (em andamento)

 
Não gosto muito de deixar livros a meio de um mês para o outro, contudo foi inevitável que isso acontecesse no mês de Janeiro. iniciei este mês com grande disposição para leituras, mas a meio do mês a rotina e o cansaço começou a estranhar-se e o ritmo de leitura abrandou significativamente. Levo então comigo para terminar no início de Fevereiro os livros Tens coragem? e A cada respiração que curiosiamente foram ambos cedidos por as respetivas editoras.

Recebidos

  
Estranhamente não adquiri nenhum livro durante o mês de Janeiro e espero sinceramente conseguir continuar assim por um tempo ou pelo menos manter-me focada e adquirir só mesmo aquilo que quero ler.
O livro A cada respiração foi recebido pela editora HarperCollins porque embora o meu primeiro contacto com a Maya Banks não tenha sido propriamente o melhor, decidi dar-lhe uma segunda oportunidade. Depois recebi ainda da editora Leya o Lembras-te de mim? porque estou a ficar cada vez mais fã de romances históricos. O único livro que recebi no meu aniversário foi Sedução perigosa que me foi oferecido por uma amiga que sabe exatamente aquilo que gosto de ler e não poderia ter acertado melhor na minha prenda, tendo-lhe ainda juntado uns marcadores super fofinhos em forma de bigodes!


Balanço final

Leituras completas: 6 livros | Leituras em andamento: 2 livros
Leituras em formato físico: 0 | Leituras em formato e-book: 6
Recebidos: 3 livros | Aquisições: 0